fbpx

Harmonização: Réveillon muito além do espumante

Já é uma deliciosa tradição o “estouro” da champagne, do espumante nas festas de Réveillon. Eles realmente não podem faltar na celebração da chegada do novo ano –  Nature, Demi-Sec, Brut, Rosè. Mas, você pode (e deve) aprofundar mais sua experiência enogastronômica no seu “chega-mais-ano-novo”. Esse é um daqueles momentos propícios para trazer à mesa (ou às taças) elegância, refrescância, tradição, corpo, acidez, leveza e o que mais for possível.

Podem surgir aquelas dúvidas: esse vinho vai bem com o que? Esse prato combina com que espumante? Estamos falando de harmonização. E harmonização é a arte de combinar sabores para criar sensações. A bebida  ressalta o sabor do prato e a comida melhora a experiência com a bebida. Experimentar é sempre o melhor. Afinal, harmonização compreende também juntar dois sabores para criar um terceiro combinado e diferenciado.

Duas regras de ouro para harmonização do vinho

Experimentar pode lhe render experiências inusitadas e gratificantes. Ás vezes, pode nascer uma combinação não tão boa assim. Mas, acreditamos que duas regras, se seguidas à risca,  vão fazer de sua ceia um deleite enogastronômico:

  1. Receitas leves combinam com vinhos leves e pratos mais potentes com vinhos mais encorpados
  2. Gosto não se discute e o mais importante é o que você e seus convidados realmente gostam.

Você também pode procurar na literatura as harmonizações mais usuais. Certamente, o jantar fica mais prazeroso quando os dois alimentos se encaixam bem – a comida e o vinho. Então, vamos a algumas dicas que a VinhoClic separou para esse Réveillon!

Harmonização vinho e petiscos

Imaginemos uma mesa de petiscos para começar a festa. Queijos, embutidos, azeitonas. Patês de tomate seco, berinjela, por exemplo. Nesse caso, pode ser uma boa opção começar com um branco leve com notas mais cítricas que você encontra num Chardonnay ou Sauvignon Blanc. Experimente o PROMESA SAUVIGNON BLANC, de corpo médio e aroma de frutas cítricas que ficam bem suaves no paladar. Mas, se preferir já começar com as borbulhas, um espumante brut cairá bem aqui. Experimente, por exemplo, o TOSTI ESPUMANTE GRAN CUVÉE BRUT. É um excelente aperitivo com perlage fina e persistente. Este espumante traz aromas de frutas cítricas e ótimo frescor.

Harmonização vinho e peru

O peru assado pode te proporcionar experiências incríveis em termos de harmonização. Tudo vai depender do molho ou da condimentação do prato. Mas, esta ave grelhada já convida para um tinto de média estrutura. Seu paladar levemente adocicado vai harmonizar bem com um Pinot Noir do Beaune, por exemplo, um Gamay ou um tinto jovem de Rioja. Uma boa pedida também é um branco. Sugerimos o chileno ARTE NOBLE RESERVA CHARDONNAY. Um branco de coloração dourada e aromas intensos de abacaxi e limão com toque de baunilha. Se o prato for bem temperado, um Chardonnay que tenha estagiado em barricas de carvalho é perfeito.

Harmonização vinho e carne de porco

Lombo e pernil são outros campeões de audiência na ceia de ano novo. São duas carnes saborosas e leves que pedem um tinto de corpo médio. Uma primeira sugestão é o chileno CORDILHEIRA ANDINA CARMÉNÈRE, um vinho de paladar seco e frutado. Seus aromas lembram frutas vermelhas maduras com notas intensas de pimenta.

Harmonização vinho e bacalhau

O bacalhau assado com batatas e bastante azeite harmoniza bem com um vinho verde. Outra possibilidade é um espumante brut,  rico em frescor e acidez e com pouco residual de açúcar. Nossa sugestão é o espumante italiano CÀ MAIOL SEBASTIAN BRUT, um espumante muito elegante, fresco e estruturado, traz uma perlage persistente e muito agradável, com boa acidez e um ótimo retro-gosto.

Harmonização de sobremesas

Claro. Ninguém fica sem a sobremesa da mesa de ano novo. Se no seu cardápio está mousse, brownie ou torta de chocolate, uma boa ideia é servir um vinho do porto. Sugerimos o BARRIQUINHA DO PORTO TAWNY. Possui um  delicado aroma de especiarias e frutos secos e apresenta um perfeito equilíbrio de taninos e doçura na boca.

Já o pavê ou charlote possui uma textura mais macia. Quando não são muito carregados de açúcar vão muito bem com um colheita tardia. Outra opção é um espumante moscatel que pode ter uma doçura complementar na hora desse deleite final. Mas, nossa sugestão é surpreender seus convidados com o VINCENTIN BLANC DE MALBEC.Um Malbec levemente rosado, com notas florais como violetas e frutas como amora, pêssego e morango amalgamados com madeira, canela e cravo. Na boca, sente-se o corpo médio com taninos agradáveis.

E mais dicas de harmonização

  • Sauvignon Blanc, Pinot Griglio acompanham bem uma salada
  • As borbulhas e a acidez dos espumantes são como um preparatório para limpar as papilas gustativas e realçar sabores. Assim, os espumantes são quase um coringa para os jantares.
  • Sabe aquele Brie com Chutney de manga. Hummm. Viognier é a uva.
  • Um salmão defumado? Chardonnay com estágio em barrica de carvalho
  • Bacalhau com um tinto leve
  • O cordeiro não tem opção: tinto encorpado ou de corpo médio não importando o tempero. Para não errar: algum varietal ou corte de uvas de Bordeaux (cabernet sauvignon, merlot, cabernet franc)

Enfim, harmonizar vinho e comida não é tão complexo. Novamente, vale usar um pouco as regras ou combinações tradicionais,  uma boa dose do bom senso e da intuição e abusar de suas experiências e gostos pessoais.

Nossas Dicas de hoje foram:

 

 

 

 

 

compartilhar:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × cinco =

0
    0
    Your Cart
    Your cart is emptyReturn to Shop
    ×