Início Serviços do Vinho Vamos Harmonizar?
Vamos Harmonizar? Imprimir E-mail

 

Se o objetivo é harmonizar, aí vão algumas dicas preciosas.

 

Quando você se depara com a tarefa de escolher um vinho, vem a dúvida: Qual vinho comprar? Qual rótulo fica bom com aquele prato que quero fazer? Tinto ou Rose ou Branco ou...?

 

 

 

A palavra harmonizar no dicionário da enogastronomia significa combinar as características do vinho com os sabores dos alimentos, buscando alinhar sempre esses dois elementos da melhor maneira possível, realizando assim, o casamento perfeito ou quase perfeito de dois prazeres à mesa. Complicado?

 

 

Não é bem assim, você pode fazer excelentes escolhas sem precisar ser um especialista no assunto. Harmonizar ao contrario do que muitos acreditam não é tão difícil, e sim, uma questão de prática, de ensaios, de erros e acertos nas tentativas. Excelente motivo para reunir amigos e família para ajudar nessa árdua tarefa ao fazer tais experimentos.

 

Então, por onde começar?

Seja simples! Entre as combinações mais conhecidas estão o vinho tinto com carne vermelha, vinho branco com peixes e o champagne, que  combina com entradas e sobremesas.

 

Continue Simples! Outro fator interessante é buscar e conhecer as regiões produtoras, porque sempre vai ter uma ou outra que você vai se identificar!  Desta forma, fica mais fácil desenvolver a percepção do paladar, considerando o potencial de cada região com a combinação de pratos. Por exemplo, a paeja espanhola casa muito bem com o vinho espanhol, a macarronada do domingo com vinho, adivinha? Isso mesmo que pensou! Vinho Italiano! E assim vai...

 

Atenção! Quer servir mais de um vinho? Então siga a dica: Vinhos espumantes (brut, seco) são excelentes para acompanhar aperitivos, por serem leves e frutados.  Uma sobremesa combina com vinhos doces , por ex.: aqueles vinhos da colheita tardia e se for à base de chocolate porque não experimentar com um vinho do porto. Isso não significa que você não possa experimentar seqüências diferentes, mas comece sempre pelo básico para entender e sentir a evolução do paladar.

 

Como regra geral, as harmonizações podem ser feitas por semelhança ou oposição. Por semelhança é a mais fácil, como os exemplos que citamos acima. Procure fazer combinações que harmonizem o sabor e intensidade do vinho com o tempero e textura do prato. Experimente!

 

Abuse! Um vinho com bastante acidez vai bem com uma comida doce , pois o açúcar tem a função de atenuar a acidez. Um vinho ácido também vai bem com gordura, assim a combinação queijo roquefort (gorduroso e salgado) e vinho sauternes (ácido e doce) são ótimas.

 

Aconselhamos a experimentar com extrema cautela, casamentos fracassados ou difíceis.

Os casamentos fracassados também existem no dicionário vinícola, sim senhor! Existem aqueles alimentos que não combinam de jeito nenhum com os vinhos ou até combinam, mas são casamentos difíceis de obter sucesso. Veja quem são eles:


  • Ovos, alcachofra, sardinhas, são geralmente alimentos difíceis para acompanhar um bom prato por apresentar muitos minerais em sua composição;
  • Pratos excessivamente temperados, muito apimentados;
  • Verduras, legumes, saladas e atum;
  • Sopas cremosas;
  • Feijoada;

VinhoClic te desafia: Faça a harmonização com o vinho argentino Sottano Cabernet Sauvignon

 



 

 
 

Atualidades